sábado, 25 de outubro de 2014

Teoria do Amor de Referência


Por Augusto Maia
Para muitos, falo que existe o amor verdadeiro..
Aos poucos, defendo uma teoria bem simples..
Começa assim..
Pergunte para você, o que é o amor?
Quando digo amor, entenda nas seguintes regras:
Não digo amor de pai e mãe para com seu filho.
Ou entre amigos.. ou, ainda, entre familiares..
Digo de amor que é visto nos romances..
De um amor que muitos intitulam de "alma gêmea"..
Alvo daquele famoso dito popular: "metade da laranja"..
Do saudoso: "outro lado do sapato velho "..
É, quase, o sujeito indeterminado "é a pessoa que sempre esperei".
Quando ele surge, seu corpo exterioriza..
Surge um frio na barriga..
Ao seu redor, tudo se transforma..
As cores ficam intensas..
O ar romântico dá suas caras...
E eis que neste momento, surge a melhor sensação:
O olhar.
E não é o simples ato de ver/observar..
São olhares que dizem tudo e nos realizam por completo.
Lembrou?!
Pois é. Neste ponto é que surge minha teoria..
Existem três grandes grupos:
O primeiro que são as pessoas que nunca sentiram isso.
O segundo que pertence aos que sentiram esse turbilhão de sentimentos e sensações .
E o terceiro, e mais sortudo grupo, que é composto por todos aqueles que sentiram e sentem tal sensação, pois ela(e) é sua(seu) esposa/(marido) ou companheiro(a).
Vou explicar, agora a teoria: "este amor surge apenas uma vez na vida e vira nosso referencial sobre o que é amar".
Entendeu?!