Prefeitura discute ações de proteção à criança no Tirirical



A Prefeitura de São Luís realizou neste sábado (18) o terceiro fórum da Plataforma Centros Urbanos (PCU), que tem como objetivo discutir, de forma regionalizada, políticas públicas para crianças e adolescentes. Desta vez, os representantes da Prefeitura e do Unicef debateram com a comunidade do Tirirical o fortalecimento de ações para a garantia dos direitos de crianças e adolescentes da região, incluindo bairros como Cidade Operária, Cidade Olímpica, Janaína, entre outros.
“A intenção é mudar a realidade do território com o comprometimento conjunto, da comunidade, do Unicef e da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, que tem o compromisso com a garantia de direitos de crianças e adolescentes”, explicou a titular da Secretaria da Criança e Assistência Social (Semcas), Andréia Lauande, durante o evento deste sábado realizado na Unidade de Educação Básica Santa Clara, no bairro Santa Clara.
Durante o fórum, os participantes foram divididos em grupos de discussão para debater sete indicadores sociais da área. Através dessa metodologia, a comunidade pode sugerir ações e elencar prioridades para as políticas públicas existentes. Eles debateram indicadores como taxa de mortalidade neonatal, percentual de nascidos vivos de gestantes, taxa de homicídios entre adolescentes de 10 a 19 anos, taxa de distorção idade-série no ensino fundamental municipal, entre outros.
O secretário municipal de Educação, Geraldo Castro Sobrinho, acompanhou as discussões e ressaltou que a Prefeitura, ao socializar os indicadores sociais, pretende evidenciar a situação local, a fim de que sejam construídas ações eficazes. “Os índices são reais e serão superados”, declarou. O evento também contou com a visita de uma equipe técnica da PCU de Maceió (AL), que veio conhecer a experiência de São Luís.
A Plataforma Centros Urbanos é uma iniciativa do Unicef, que articula o poder público e sociedade civil na missão de superação das desigualdades que afetam a vida das crianças e adolescentes nas grandes cidades do país. Em São Luís, a Semcas é o ente municipal responsável pelo desenvolvimento da Plataforma. Entres os desafios da PCU está a participação da comunidade no controle social para que, após as discussões, as políticas públicas focadas nas dificuldades encontradas nos territórios sejam instaladas.
Para a chefe do escritório do Unicef em São Luís, Eliana Almeida, o objetivo é que as discussões não se limitem ao dia do fórum, mas que permaneçam na comunidade para que haja alterações conjunturais. “A meta é que sociedade civil, a família e o Estado encontrem soluções para superar a situação dos indicadores em cada território”, declarou. 

Transtorno do Espectro Autista

Direito de todos

Ajude a denunciar!